FHCFidelChavez

Esquizofrenia política e paternidade seletiva no ninho tucano

FHC foi o precursor das relações comerciais Brasil-Cuba. Em seu mandato, o tucano investiu 30 milhões de dólares na Ilha de Fidel em valores da época. Hoje, seu partido usa o atual empréstimo para a construção do Porto de Mariel como artilharia anti-petista, e tratam como escândalo a mesma estratégia que usaram quando no poder.

Aécio, em campanha, reivindica a paternidade do Bolsa Família, programa tido como famigerado até pouco tempo atrás no ninho tucano. Sim, FHC implantou programas sociais – parcos e limitados – mas implantou, concebeu o embrião, mas quem deu vida, estruturou e implementou o Bolsa Família foi Lula e Dilma. FHC gerou o embrião, mas quem pariu e criou o Bolsa Família foi o atual governo. Pai é quem cria, já diz a máxima popular.

A tucanagem de plantão, aliada ao CRM e os Planos de Saúde, criticam ferrenhamente o Mais Médicos e os profissionais cubanos que vieram trabalhar em nossos país. Só baixaram o tom durante a campanha, já que a aprovação do Programa é gigantesca no Brasil. Só em Santa Catarina, por exemplo, o Mais Médicos aumentou em 68% o atendimento pré-natal. Esquecem também que o primeiro presidente brasileiro a trazer médicos cubanos para socorrer o país foi FHC.

Há, de fato, uma tentativa de paternidade seletiva nas falas de Aécio. Sobre o investimento nas exportações a Cuba, rejeitam a cria e demonizam o filho, jogando aos leões aquilo que foi de grande valia para às empresas brasileiras que desejavam exportar para Cuba. Já sobre o Bolsa Família, em mais um surto de esquizofrenia política, o PSDB tenta arrancar o filho dos braços da mãe.

Informação é fundamental para o bom debate. Acesse, saiba mais:

Investimentos de FHC em Cuba: http://tijolaco.com.br/blog/?p=13150

Empréstimo Porto Mariel: http://migre.me/miiOC

Bolsa Família: http://migre.me/miiRt

Mais Médicos: http://migre.me/mij8u

 

Categories: Sem categoria