Barros/Pupin é contra casas geminadas nos bairros mas aceita apartamentos de 40 m2 no centro

O prefeito Silvio Barros (PP) defende que o tipo atual de casas geminadas “não é bom para a cidade”. Ele atendeu O Diário após a polêmica envolvendo o cadastro de donos de terrenos que pretendem construir esse tipo de imóvel – no caso de lotes inferiores a 400 metros quadrados, de loteamentos aprovados antes de 2009. Segundo Silvio, o cadastramento é necessário para organizar a cidade e delimitar a construção de um tipo de obra que não é de interesse do governo.

“A prefeitura não tem o interesse em estimular as casas geminadas, porque não é bom para a cidade. A cidade não ganha com isso. Nós temos casas que têm problema de insolação, com problema de ventilação, com problema de permeabilidade, com impossibilidade de ampliação, casas com um aumento de densidade e a transposição de um problema de estacionamento, que hoje nós temos no Centro, lá para o bairro. A troco de que? Por que estimular isso?”, disse o prefeito,durante entrevista no gabinete dele.

“É o papel da prefeitura trabalhar pelo planejamento urbano que melhore a cidade. Mas não vamos impedir. Quem quer, tem o direito, pode fazer. Só tem que vir aqui e cadastrar sua intenção ao imóvel e nada mais. Não vai custar nada, não vai tomar muito tempo, é uma coisa simples”, destacou.

De acordo com o prefeito, o prazo para cadastramento dos imóveis não vai colocar um fim às casas geminadas. Elas poderão, como está liberado desde 2009, ser construídas em terrenos de 400 metros quadrados, que tenham no mínimo 16 metros de testada.

“Neste um ano de prazo, nós já teremos vários loteamentos em Maringá vários terrenos de 400 metros, onde já se pode fazer casa geminada”, alegou.

do Odiario.com

Categories: Sem categoria